A convite do MP, Soldado Fruet presta informações sobre festa em Foz

Por Tribuna Popular Publicado em
A convite do MP, Soldado Fruet presta informações sobre festa em Foz

O deputado estadual Soldado Fruet (PROS) foi ouvido na tarde desta terça-feira (02/03/2021) pelo promotor Luis Marcelo Mafra Bernardes da Silva, titular da 9ª Promotoria de Justiça, a respeito da festa de casamento encerrada na noite de domingo (28/02) em Foz do Iguaçu, após reclamações de descumprimento dos últimos decretos estadual e municipal de enfrentamento à Covid-19. “O Ministério Público (MP) recebeu uma denúncia sobre esse evento e me convidou para prestar informações, já que estive no local e questionei os fiscais sobre o motivo da não aplicação de multas pela aglomeração e pelo desrespeito ao toque de recolher”, explicou o parlamentar. 

Na segunda-feira (1º), o Soldado Fruet protocolou um ofício solicitando ao prefeito Chico Brasileiro, com base na Lei de Acesso à Informação, esclarecimentos sobre multas impostas aos organizadores do evento; existência ou não de autorização prévia da Prefeitura e, caso não tenha sido imposta multa aos organizadores, a justificativa legal para tal ato. Além disso, requereu, sob as penas da lei, que seja informado se os organizadores do evento possuem vínculo empregatício com o Município. 

A pedido do promotor, o Soldado Fruet se comprometeu a repassar a resposta do prefeito para colaborar com o MP na averiguação dos fatos. O deputado mostrou ao promotor prints de conversas de Whatsapp que circularam pelas redes sociais revelando que um diretor da Prefeitura teria pedido que os noivos não fizessem postagens nas redes sociais para garantir a discrição da festa e também teria avisado que um secretário municipal teria alinhado a realização do evento com a fiscalização. 

“Eu prezo pelo princípio da isonomia, a lei tem que ser igual para todos”, disse o Soldado Fruet. “Não sou contra eventos, contra empresários nem contra trabalhadores. Todo mundo tem que trabalhar, mas quando são fiscalizados, não podem ter tratamento diferenciado”, argumentou, questionando: “Por que num local menor as pessoas são todas identificadas e os funcionários são multados e em outro, com muito mais pessoas, só foram orientados. Por que esse tratamento diferenciado?”.

SAÚDE - O Soldado Fruet também conversou com o promotor sobre a denúncia que fez ao MP em fevereiro de 2020, em relação a quatro contratos celebrados pela Fundação Municipal de Saúde com empresas de serviços médicos, sem licitação, totalizando R$ 27 milhões. De acordo com o deputado, há suspeitas de direcionamento neste processo, já que foram contratadas empresas cujos sócios já prestavam serviços ao Hospital Municipal Padre Germano Lauck.

Fonte e Foto: Assessoria

Galeria de imagens:

Atenção!

A reprodução das fotos do portal de notícias Tribuna Popular com endereço digital jtribunapopular.com.br está expressamente proibida.

As fotos são protegidos pela legislação brasileira, em especial pela Lei de Direitos Autorais (Lei Federal 9.610/98) e é um direito de imagem garantida pela lei.

A Tribuna Popular retém os direitos autorais do conjunto de textos e fotos publicados no site conforme a lei 9.610 de 19/02/1998.

Para a reprodução do conteúdo fora das condições especificadas entrar em contato com o seguinte e-mail jtribunapopular@bol.com.br