Chefe do SAMU acusado de racismo é afastado pelo prefeito Chico Brasileiro

Por Tribuna Popular Publicado em
Chefe do SAMU acusado de racismo é afastado pelo prefeito Chico Brasileiro

Vítima entrou com notícia crime no Ministério Público para investigar mandachuvas que chamavam motoristas de \"macacos\" e \"chipanzés\"

Chovia bastante em uma manhã de primavera deste final de dezembro de 2020. Um homem de meia idade entra nas dependências do SAMU de Foz do Iguaçu, reúne documentos e vai cuidadosamente colocando, um a um, em sacolas e caixinhas de sapato. Cabisbaixo, ele deixa o departamento, entra em seu carro e ruma ao desconhecido.

Quem viu ele sair melancólico da sede do SAMU naquela manhã, não imaginava que durante alguns anos esse homem agia como um tirano, mandando e desmandando, humilhando pessoas e usando de seu cargo público para satisfazer seus desejos animalescos e atender pedidos de politiqueiros.

O nome deste personagem nesta história que não tem nada de ficção, se chama Adam Smith Ferreira da Silva. Ao contrário do filósofo britânico Adam Smith, autor do célebre \"A Riqueza das Nações\", o Adam Smith das Cataratas era um ignorante, prepotente e desalmado.

Durante o tempo em que chefiou o setor de ambulâncias do SAMU, indicado pela vereadora Inês da Saúde, ele é acusado de praticar crimes de racismo e assédio sexual.

A gênese de um lunático

Adam Smith é recepcionista concursado na Prefeitura de Foz do Iguaçu. Mas como ele é chegado em política subterrânea costuma bajular políticos interesseiros para conseguir cargos. E foi assim que ele conseguiu esse cargo chefe de frota do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), indicado pela vereadora Inês Weizeman no famoso tomalá-da-cá.

Para levar adiante suas traquinagens, Adam Smith contava com apoio do chefe dos motoristas, Jonas Taborda, que também demonstrou seu racismo e arrogância. Mas a tirania desses servidores com atitudes sórdidos chegou ao fim porque o prefeito Chico Brasileiro o afastou do cargo.

O Ministério Público também foi acionado e certamente irá tomar as providências cabíveis.

Notícia crime

Uma das denúncias contra Adam Smith é de racismo e foi protocolada pelo motorista de ambulância do Samu, João Paulo Silva Oliveira. Foi ele quem ingressou no Ministério Público com uma notícia crime para apurar crime de racismo praticado por Adm Smith e Jonas Taborda.

João Paulo trabalhou no Samu de junho de 2019 a agosto de 2020, quando foi demitido a mando de Adam Smith. Dede o início ele sofreu perseguição em função de ser afrodescendente, mas não protocolou denúncia por não possuir provas.

Ao relatar os fatos ao Ministério Público, João Paulo diz que já nas primeiras semanas percebeu que Adam Smith e Jonas Taborda \"nutriam desprezo\" por ele e seu colega Luiz Carlos Santiago Junior, que também é afrodescendente.

Segundo o João Paulo, seus chefes sempre distribuíam as tarefas mais penosas aos motoristas negros e sempre lhes davam as viaturas \"sucateadas\".

A perseguição chegou a ponto dos chefes obrigarem eles trabalhar a noite se pedissem para cumprir escalas de dia e vice-versa. \"Em certo ponto da relação empregatícia\" Adam Smith e Jonas Taborda \"passaram a deixar claro\" que estavam forçando os dois motoristas negros a pedir demissão \"pois estavam criando toda forma de embaraço, mal-estar e obstaculizando o desempenho de suas funções\".

A notícia crime destaca que Adam Smith e Jonas Taborda \"emitiram comentários racistas nas mensagens trocadas (...) sendo que Smith se referia a ambos como macacos e Taborda como chipanzé JP\".

Fonte:

Atenção!

A reprodução das fotos do portal de notícias Tribuna Popular com endereço digital jtribunapopular.com.br está expressamente proibida.

As fotos são protegidos pela legislação brasileira, em especial pela Lei de Direitos Autorais (Lei Federal 9.610/98) e é um direito de imagem garantida pela lei.

A Tribuna Popular retém os direitos autorais do conjunto de textos e fotos publicados no site conforme a lei 9.610 de 19/02/1998.

Para a reprodução do conteúdo fora das condições especificadas entrar em contato com o seguinte e-mail jtribunapopular@bol.com.br