Festa de casamento autorizada pela Prefeitura causa revolta na população

Por Tribuna Popular Publicado em
Festa de casamento autorizada pela Prefeitura causa revolta na população

Mais de 150 pessoas da “high society” iguaçuense participavam do evento luxuoso em pleno lockdown decretado pelo prefeito Chico Brasileiro

Enrique Alliana - Jornalista

Na noite de domingo (28/02/2021) um grupo de pessoas enfurecidas cercou as imediações do Gil Buffet, no bairro Mata Verde, para protestar contra uma festa de casamento que reuniu cerca de 150 pessoas.

Do lado de fora era possível enxergar muitos carros de luxo. Quem conseguiu ver alguma coisa lá dentro, percebeu mulheres de vestido longo, cuidadosamente maquiadas, e homens de fatiota. Teve quem exagerou no black tie, apesar do calor.

A música alta, com direito a célebre Marcha Nupcial de, Felix Mendelssohn, atraiu a curiosidade de vizinhos e populares. O aroma do delicioso regabofe, levado pelo maldito vento até as cercanias atiçou as bichas da vizinhança.

Mas o que é bom dura pouco, diz o velho ditado. Manifestantes revoltados com a festança em pleno lockdown decretado um dia antes, pretendiam invadir o estabelecimento e acabar com a opulência, “pompa e circunstância”, mas o portão de ferro e a cerca de arame farpado impediram a entrada.

O protesto teria iniciado quando duas pessoas passaram pela frente, ouviram a algazarra e denunciaram nas redes sociais. Outra versão dava conta que alguns vizinhos fizeram a denúncia pelo Facebook. Em pouco tempo as pessoas foram chegando e difundindo o acontecimento usando o celular. Logo em seguida dezenas de pessoas estavam no local para protestar e cobrar providências.

Revolta

Nas redes sociais os protestos foram se multiplicando. “De nada adianta o prefeito decretar lockdown se os bacanas podem fazer festas, reunindo mais de 100 pessoas sem máscara”, escreveu um internauta.

“A lei precisa ser igual para todos. Se é para fechar e proteger as pessoas, então vamos fechar tudo e não permitir esse festerê para os ricaços e apadrinhados políticos”, retrucou outro.

Autorização

Os populares descobriram que a festa fora autorizada pela Secretaria de Turismo dez dias antes do prefeito Chico Brasileiro decretar as restrições comerciais. O fato revoltou ainda mais os manifestantes que exigiram providências.

O deputado Soldado Fruet dirigiu-se até o local e questionou os fiscais da Prefeitura dizendo que as leis estadual e municipal eram ser cumpridas por todos e quis saber porque o estabelecimento não foi autuado. Ele fez um requerimento pedindo informações ao prefeito Chico Brasileiro.

O Gil Buffett pertence ao empresário Girnei de Azeveto, envolvido até o pescoço no escândalo das Operações Pecúlio e Nipoti, durante o governo Reni Pereira. Ele foi diretor de obras e acusado pelo MPF de cobrar propina durante medição de obras.

Chico Brasileiro negou sua presença no casório

As redes sociais divulgaram incessantemente que o prefeito Chico Brasileiro também estaria na festa. Chegaram a dizer que ele seria padrinho de casamento.

Pouco depois das 21 horas, o prefeito fez um pronunciamento negando sua presença. A gravação foi realizada em sua própria residência e mostrava ele assistindo ao jogo do Palmeiras contra o Grêmio.

“Pessoas maldosas estão divulgando que eu estaria nessa festa, mas, como podem ver, estou em minha casa assistindo ao jogo. Vou determinar que a fiscalização vá até lá para multar e tomar as providências cabíveis”, declarou o prefeito.

 

Fonte: Jornal Tribuna Popular

Galeria de imagens:

Atenção!

A reprodução das fotos do portal de notícias Tribuna Popular com endereço digital jtribunapopular.com.br está expressamente proibida.

As fotos são protegidos pela legislação brasileira, em especial pela Lei de Direitos Autorais (Lei Federal 9.610/98) e é um direito de imagem garantida pela lei.

A Tribuna Popular retém os direitos autorais do conjunto de textos e fotos publicados no site conforme a lei 9.610 de 19/02/1998.

Para a reprodução do conteúdo fora das condições especificadas entrar em contato com o seguinte e-mail jtribunapopular@bol.com.br