Vice-prefeito burla legislação durante sorteio de casas no Residencial Boicy

Por Tribuna Popular Publicado em
Vice-prefeito burla legislação durante sorteio de casas no Residencial Boicy

CASAS POPULARES

Diretora do Fozhabita disse que a classificação no cadastro reserva não garante a contemplação com uma unidade habitacional; portanto, foi um sorteio deixar o povo na esperança de um dia que nunca vai chegar

A Comunicação Social da Prefeitura distribuiu release à imprensa divulgando o sorteio de 145 apartamentos para cadastro de reserva do Residencial Boicy 2 e destacou a presença do vice-prefeito Francisco Sampaio.

O residencial Boicy é um conjunto de prédios para famílias de baixa renda, localizado na Gleba Guarani, próximo de onde Judas perdeu as botas.

Francisco Sampaio estava feliz ao participar da festança e acabou ferindo a legislação vigente. A Lei Complementar 14 reza que é proibido "valer-se do cargo com fim ostensivo ou velado para obter proveito de natureza política ou partidária para si ou terceiros".

Sampaio pretende ser candidato a deputado estadual e estava todo sorridente na solenidade, distribuindo sorrisos e abraços, bem ao contrário do seu perfil sisudo e de poucas palavras.

O vice-prefeito foi um bom delegado no tempo em que estava na Polícia Civil. Ele também é advogado e não poderia alegar ignorância da legislação.

A seleção das famílias cadastradas foi transmitida pelo facebook da Prefeitura de Foz do Iguaçu e acompanhada por cerca de 2 mil pessoas, informou Comunicação Social.

De acordo com o release, o vice-prefeito, delegado Francisco Sampaio, reafirmou o compromisso do governo em ampliar os programas habitacionais do município. "É uma grande alegria participar deste ato representando o prefeito Chico Brasileiro. Fomentar os programas de habitação popular é uma obrigação do gestor público e vamos continuar melhorando e ampliando a oferta de moradias, fomentando também a economia local", disse.

A relação das famílias habilitadas a participar do sorteio foi publicada na segunda-feira (21) no Diário Oficial do Município.

Segundo a Prefeitura, o sorteio "seguiu critérios de prioridade, como grupo de pessoas idosas, pessoas com deficiência, doentes crônicos, família monoparentais, famílias onde a mulher é a responsável pelo lar, famílias com mulheres que possuem medidas protetivas e famílias que vivem em áreas de risco. A renda familiar máxima é de R$ 1,8 mil".

Pra inglês ver

A solenidade da entrega nada mais foi do que um dos tantos atos de politicagem barata desta gestão, tanto é que o prefeito não compareceu e mandou o vice como bucha de canhão. Tolinho como é, Sampaio compareceu, achando que estava fazendo uma grande coisa.

Mas o sorteio dos cadastros é conversa pra inglês ver. Lembra aquela fábula do burro que tem uma cenoura na sua frente e segue mansamente, sem questionar, sem brigar, esperando que um dia a cenoura para em sua boca. Maldosamente, os governantes colocam a cenoura na nossa frente e o povo ignorante segue de mansinho.

Na oportunidade, a própria diretora superintendente do Fozhabita, Silvia Pallandi, disse que a classificação no cadastro reserva não garante a contemplação com uma unidade habitacional.

"A lista de espera fica condicionada a desistências e desclassificações de famílias anteriormente sorteadas e que não apresentaram a documentação necessária". Trocando em miúdos: só postergaram o sonho da casa própria de centenas de pessoas, em mais uma atitude sacana do Chico Malvadeza.

O Fozhabita explica que o cadastro de reserva tem validade de dez anos, ou seja, havendo uma desistência neste período, a família sorteada poderá ser chamada.

Fonte: https://jtribunapopular.com.br/uploads/files/2021/06/jornal-tribuna-popular-edicao-305-pdf.pdf

Galeria de imagens:

Atenção!

A reprodução das fotos do portal de notícias Tribuna Popular com endereço digital jtribunapopular.com.br está expressamente proibida.

As fotos são protegidos pela legislação brasileira, em especial pela Lei de Direitos Autorais (Lei Federal 9.610/98) e é um direito de imagem garantida pela lei.

A Tribuna Popular retém os direitos autorais do conjunto de textos e fotos publicados no site conforme a lei 9.610 de 19/02/1998.

Para a reprodução do conteúdo fora das condições especificadas entrar em contato com o seguinte e-mail jtribunapopular@bol.com.br