Yasmin Hachen, uma jovem com métodos velhos que se arvora de juíza

Por Tribuna Popular Publicado em
Yasmin Hachen, uma jovem com métodos velhos que se arvora de juíza

Ao compactuar com a nomeação do namorado para um cargo de confiança na Prefeitura, no valor de 10 mil reais, a vereadora jogou fora sua independência no Legislativo

A vereadora eleita Yasmin Hachem ficou nervosinha com a publicação de uma matéria no jornal Tribuna Popular falando sobre a nomeação de seu namorado, Gabriel Barros de Oliveira, na Prefeitura de Foz do Iguaçu, e publicou em suas redes sociais alguns comentários desairosos contra o Tribuna Popular.

Apesar de jovem, Yasmin se espelha em antigas praticas de políticos ultrapassados, carcomidos (estragados) pelo tempo. Dona Yasmin deveria saber que, ao trabalhar ou concordar com a nomeação do noivo em um cargo público estaria indo na direção oposta de tudo o que pregou na campanha política que lhe oportunizou uma cadeira no Legislativo Iguaçuense.

Longe de duvidar da capacidade do noivo sortudo, (até porque seu currículo não foi divulgado), mas soa muito estranho que treze dias depois da eleição de vereador, o diário oficial da Prefeitura publicou a portaria de nomeação do noivo.

E dai a gente pergunta, se a dona Yasmin Hachem não tivesse sido eleita, será que o noivo seria aquinhoado (favorecido) com o suculento cargo de 10 mil reais por mês ou continuaria ganhando menos da metade como concursado.

Yasmin merece todo o nosso respeito por sua carreira política meteórica ao se eleger com uma votação surpreendente, com apenas 25 anos, deixando poeira nos olhos de políticos veteranos.

A jovem Yasmin ainda tem muito a aprender. Em vez de assacar (imputar calúnias) injustamente contra um jornal que faz críticas construtivas e aponta os caminhos do bem, ela deveria assimilar as criticas, reconhecer os erros, pedir que o noivo fosse exonerado e se desculpar perante os milhares de eleitores que confiaram em suas propostas de mudanças.

Dever juramentado

Ao tomar posse, Yasmin Hachem prometeu cumprir a Constituição Federal e as leis municipais. As leis municipais falam sobre o papel do vereador - e um dos papeis e justamente fiscaliza o poder executivo. E ai e de se perguntar com que moral Yasmin vai fiscalizar os atos do executivo, e se o amor de sua vida exerce um cargo de confiança na Prefeitura, e pode ser exonerado a qualquer momento...

Vereadora tentou enganar seus leitores, mas a prova da verdade esta no diário oficial

Yasmin escreveu nas redes sociais que o jornal mentiu, mas documentos oficiais e fotos do love comprovam tudo

Em suas criticas acidas ao Tribuna, por meio de suas redes sociais, Yasmin Hachem disse, com todas as letras, que o Tribuna havia publicado notícia falsa. Com isso ela tentou enganar seus eleitores e seguidores porque a noticia do Tribuna não foi, não é, e não será noticia falsa.

Por acaso a portaria numero 70.960, devidamente assinada pelo prefeito, e publicada no Diário Oficial do Município de Nº 4.020, de 27 de novembro de 2020, nomeando o senhor Gabriel Barreto de Oliveira como diretor na Secretaria de Tecnologia da Informação e falsa? Para refrescar e memória da ilustre vereadora, que agora já pode ser chamada de Sua Excelência, vamos republicar a portaria que é um documento oficial e não uma publicaçãozinha de Instagram.

Por acaso, o senhor Gabriel de Oliveira não é namorado de Yasmin Hachem? Claro que é. E as fotos publicadas pelo Tribuna Popular mostram isso muito bem. Tanto isso é verdade que elas foram publicadas pela própria Yasmin e contem juras de amor eterno entre os pombinhos. Nossos leitores verão mais uma foto nesta página para saber que não é ilusão de ótica.

Por fim, a jovem vereadora afirma já estar incomodando porque representa a \"nova política\". Ao Tribuna e seus leitores a senhora não incomoda, mas deve incomodar muito seus eleitores que confiaram em suas promessas. Quanto a \"nova política\", o nepotismo - mesmo que disfarçado - ainda é do tempo em que o arco-íris era preto&branco.

Bom inicio de mandato, Yasmin.

O uso do cachimbo deixa a boca torta

Tem um velho ditado popular dizendo que o \"uso do cachimbo deixa boca torta\". Isso quer dizer que muitas pessoas levam anos e anos construindo uma muralha de maus hábitos e depois não podem largar de uma hora para outra.

Nosso alerta para a jovem Yasmin Hachem e para que não deixe o cachimbo entortar sua boca. Ela tem um futuro brilhante pela frente e não pode se estragar no meio do caminho, como fez a vereadora roqueira Nanci Rafain Andreola, pega com a mão na cumbuca com atestado medico falso para ir ao Rock In Rio.

O Tribuna não quer a vereadora Yasmin com a boca torta pelo mau uso do cachimbo. Quer ver ela trilhando o caminho do bem, seguindo o exemplo de sua mãe, a pedagoga Silvana de Souza Hachem, que ao longo de sua carreira publica não teve um desvio sequer.

O Tribuna quer uma Yasmin pura, bela e perfumada como as flores dessa planta magnífica desenhada pelo Criador. Esta nos ensinamentos que Yasmin costuma ser um pessoa muito gentil e generosa, sempre se propondo a ajudar aqueles que precisam, mas a historia não fala em ajudar o próprio namorado.

Fonte:

Atenção!

A reprodução das fotos do portal de notícias Tribuna Popular com endereço digital jtribunapopular.com.br está expressamente proibida.

As fotos são protegidos pela legislação brasileira, em especial pela Lei de Direitos Autorais (Lei Federal 9.610/98) e é um direito de imagem garantida pela lei.

A Tribuna Popular retém os direitos autorais do conjunto de textos e fotos publicados no site conforme a lei 9.610 de 19/02/1998.

Para a reprodução do conteúdo fora das condições especificadas entrar em contato com o seguinte e-mail jtribunapopular@bol.com.br